Areco Sistemas Empresariais

A emissão de uma Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é delicada e necessita de atenção da parte de quem está realizando seu preenchimento. Mesmo com todo esse cuidado, é comum que, de vez enquanto, ocorram alguns erros. Nesses casos, não é preciso desespero! Existem alguns procedimentos que podem ser aplicados para sua correção.

O primeiro deles é o cancelamento da NF-e, que pode ocorrer desde que essa já tenho sido autorizada pelo fisco, ou seja, transmitida para o SEFAZ do seu Estado. No entanto, caso a mercadoria esteja em trânsito e/ou o prazo de cancelamento estabelecido pelo seu Estado já tenha expirado, essa opção não se torna viável.

Em geral, o prazo de cancelamento é de 24 horas. Contudo, ele é definido conforme o Estado e pode ser alterado de um lugar para outro. Outro ponto a se considerar, é que para o cancelamento ser possível, o destinatário não pode ter realizado a Ciência da Emissão.

Então, se o cancelamento da NF-e não for mais possível, existe dois outros procedimentos que podem ser aplicados: emitir uma Nota Fiscal Complementar ou uma Carta de Correção Eletrônica. Entenda a diferença e os critérios para cada uma delas!

NF Complementar x Carta de Correção

A Nota Fiscal Eletrônica Complementar funciona para casos em que as incongruências da nota original estejam relacionadas a valores. Ou seja, ela é prevista para as seguintes situações:

  • Para exportação, visando adequar o valor da moeda, principalmente se o câmbio no momento de emissão e recebimento diferirem;
  • Para ajustar qualquer diferença no preço do produto ou na quantidade da mercadoria;
  • Para lançar ou corrigir impostos com erros de cálculo ou classificação final.

ATENÇÃO: Para detalhes sobre o preenchimento desse tipo de nota, acesse o Manual de Orientação de Preenchimento da NF-e ou tire suas dúvidas com o seu contador. No final desse artigo, deixamos uma dica extra sobre como facilitar esse processo.

Já a Carta de Correção Eletrônica serve para as situações de erros pequenos e que não modificam as informações determinantes para os impostos, dados cadastrais ou data de emissão e saída. Sendo assim, pode ser aplicada para as seguintes situações:

  • Ajuste na natureza da operação da nota e código fiscal de operações e prestações (CFOP), desde que não alterem os impostos;
  • Adequação nos dados da transportadora;
  • Mudança no endereço do destinatário, desde que seja de forma parcial, nunca total;
  • Inserção de dados adicionais;
  • Ajuste na razão social do destinatário;
  • Adequação na descrição, peso, volume ou outra unidade de medida do produto.

Portanto, na dúvida entre as duas, avalie se a correção necessária implica na mudança de valor, visto que, se essa resposta for positiva, deve ser emitida a NF Complementar. Caso a resposta seja negativa, cabe a Carta de Correção.

Obviamente, cada um dos procedimentos de correção de aqui citados tem suas regras e prazos de emissão. São 30 dias para a Carta de Correção e 3 dias para a NF Complementar, considerando a data de emissão do documento original. 

Como corrigir e prevenir esses erros?

Erros em notas fiscais são, comumente, causados por erros de digitação. Justamente por isso os procedimentos de correção se fazem necessários. Para prevenir esse tipo de ocorrência, algumas medidas podem ser tomadas, como a adoção de um sistema integrado que faça o gerenciamento de notas fiscais.

Esse tipo de software, tal como é o Areco ERP, proporciona praticidade e automação, pois se baseia no conceito de “digite uma vez e propague para todo o sistema”. Dessa forma, a maioria das informações das notas fiscais já são intuídas pelo próprio sistema de gerenciamento.

Para além, um software como o Areco ERP proporciona integração entre os departamentos, tornando o processo de emissão diretamente interligado com a gestão de compras, vendas, estoque e financeiro. Seus recursos fiscais e contábeis desmistificam o pensamento de que lidar com esses processos é difícil, pois tornam a rotina operacional mais simples.

Há, ainda, a possibilidade de tornar esses recursos ainda mais seguros com a Automatização das Operações Fiscais, uma funcionalidade premium que automatiza as naturezas de operações e faz com que os usuários dos setores comerciais e de compras não precisem de qualquer interação direta com códigos fiscais de operação, mensagens fiscais e alíquotas tributárias. Tudo vem de forma robotizada pela inteligência fiscal instruída ao sistema.

Saiba mais sobre essa solução que irá alavancar a sua empresa. Fale com a Areco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *